Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Publicado em 4 de janeiro de 2016

Governador Sebastião Viana culpa comerciantes de Cruzeiro do Sul pelo estado precário da BR-364

br 364 tarauacá cruzeiro do sulAs declarações do governador do Acre, Sebastião Viana (PT) durante uma entrevista concedida ao apresentador Astério Moreira, do programa Bom dia Rio Branco, na TV Rio Branco, afiliada do SBT – no apagar das luzes de 2015 – continua repercutindo. Principalmente quando Viana fala da BR-364 – uma obra que é usada como bandeira política das administrações petistas, que se arrasta há mais de 17 anos, sem nunca ter sido concluída de fato.

Várias denúncias de superfaturamento e desvios de recursos foram apresentadas no decorrer das obras da BR licitadas pelas administrações do PT nos últimos anos, inclusive com empresa entrando com pedido de falência para não concluir trechos da estrada. Agora, o governador passou a observar atos falhos das empreiteiras contratadas pelo DNIT. Para ele, se a obra ainda estivesse sob responsabilidade de sua administração, os problemas não aconteceriam.

Apesar ser um dos governadores responsáveis pelas obras da BR-364, Sebastião Viana reclama das péssimas condições de tráfego da estrada e afirma que fez mais de 40 denúncias da morosidade na recuperação dos trechos que derreteram após ele repassar a via inacabada ao DNIT. Viana atribui a culpa da buraqueira ao que ele classifica como “ato criminoso” dos comerciantes de Cruzeiro do Sul, além de “leniência” do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Segundo Sebastião Viana, há pessoas “do empresariado de Cruzeiro do Sul que colocam caminhões bi-trem escondidos, despeitando a fiscalização, que é do DNIT, não é mais do governo do Estado, causando danos a uma rodovia federal. Isso é ato criminoso. Estão as pessoas têm que cobrar responsabilidade não é só do governo não, tem pessoas da sociedade que têm que fazer sua parte”, dispara o chefe do executivo contra os comerciantes da segunda maior cidade do Acre.

Por muitos anos, a estrada foi apresentada pelas administrações petistas, como um tipo de grito de independência dos empresários cruzeirenses que dependiam exclusivamente do transporte fluvial para abastecer o mercado do município, mas pelas declarações do chefe do Executivo, os gastos de quase R$ 2 bilhões não garantem que a BR receba tráfego os caminhões carregados de produtos de primeira necessidade para o mercado consumidor do Vale do Juruá.

BR_01

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (PMDB) rebateu as acusações de Viana. Para o peemedebista, o único trecho da estrada que nunca apresentou problemas técnicos é o que cruza as aldeias indígenas. Sales afirma ainda que Sebastião Viana estaria tentando se eximir de responsabilidades da obra que comandou por quase quatro anos. O prefeito destaca ainda que os gestores do PT não têm humildade para admitir e assumir os erros que cometem.

“Ato criminoso é gastar 2 bilhões de reais nesta estrada, ela não prestar e depois vir culpar os comerciantes de cruzeiro do Sul, pessoas que lutaram e lutam há anos, mesmo antes desta estrada para manter o abastecimento dos municípios isolados. Se há ato criminoso, ele foi cometido pelos governos do PT, incluindo a administração Sebastião Viana, que sempre é irresponsável nas declarações e incompetente na execução de obras do porte da BR-364”, diz Vagner Sales.

Sales questiona: “se faz estrada é pra andar o quê? Cavalo, sapo, jacaré? Não, estrada quando bem feita é para andar carros, caminhões, carretas, bi-trem. Cruzeiro do sul já começa ficar desabastecido de produtos alimentícios, porque os comerciantes acreditaram num governo mentiroso que disse que tinha feito a melhor estrada do mundo, eles venderam suas balsas que faziam o transporte. O governador deveria era pedir desculpa da incompetência e não culpar os comerciantes e o DNIT”, finaliza.

Fonte:Ray Melo-ac24horas

Compartilhe

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS