Cruzeiro do Sul - Acre, segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Publicado em 9 de dezembro de 2013

Resultado final de laudo comprova existência de droga no carro de médica envolvida em acidente

Os exames confirmaram ainda que as seringas encontradas no carro apresentavam resquícios de sangue e medicamento controlado

pericia acidente nova olindaA policia civil de Cruzeiro do Sul recebeu nesta semana o resultado final do laudo pericial que comprova a existência de cocaína em papelotes encontrados no carro da médica Alderlane Ildefonso da Rocha. Além dos papelotes também foram analisadas seringas que estavam no veículo, sendo comprovando a existência de sangue e medicamento controlado.

acidente nova olindaA médica é acusada pelo acidente que aconteceu na Estrada Nova Olinda em 13 de setembro deste ano que matou Rosa Maria da Costa Lima e deixou em estado grave a garupeira Maria de Jesus de Oliveira, que ainda se recupera  depois de dois meses de tratamento em Rio Branco. Maria de Jesus sofreu traumatismo craniano e fratura exposta  no fêmur com perda óssea, provocando um encurtamento do membro.

resultado pericia acidente nova olindaApós o acidente a perícia esteve no local e analisou todos os possíveis fatores que motivaram o desastre. O 1º exame pericial comprovou que o acidente de trânsito ocorreu em decorrência da imprudência da condutora relacionado ao excesso de velocidade, fazendo-a perder o controle do veículo, entrando na contra-mão, se chocando contra a moto e vindo a capotar.

O 2º exame pericial encontro dentro do carro uma sacola contendo duas latas de cerveja com furos no centro das latas, papelotes de droga e seringas com sangue ainda não coagulado. Todo material foi enviado para análise pericial em Rio Branco que constatou a existência de cocaína e do ansiolítico  fármacomidazolam, princípio ativo do medicamento Dormire  misturado no sangue na seringa.

delegado luiz tonine“O exame preliminar já havia positivado a substância. O exame complementar ratificou que de fato ali era cocaína, e dentro das seringas sangue humano com medicamento. Ela confessou que usou o midazolam, já a substância entorpecente há uma suposição, ela nega. Só o fato dela ter usado midazolam  isso já traz a conseqüência dela ter assumido o risco de ter produzido aquele resultado, pois é um remédio controlado e não pode-se fazer a condução de veículo automotor, pois altera a capacidade sensorial do indivíduo, perdendo a noção de espaço e tempo. O fato dela não ter feito o exame toxicológico ela assume uma responsabilidade que ela poderia provar  ao contrário”, destacou o delegado responsável pelo caso, José Luiz Tonine.

medica alderlaneTodo o laudo será agora encaminhado para justiça. A médica deve responder por homicídio doloso com dolo eventual. A pena para o crime varia de 6 à 20 anos.

Tribuna do Juruá – Vanísia Nery

Compartilhe

    Comentários:

    1. anonimo disse:

      AGORA EU QUERO VER SO EU NAO CZS TODINHO QUE A JUSTIÇA VAI FAZER COM ESSA ASSASINA VAMOS ESPERA PARA VER

    2. Carniça disse:

      Só podeia era capotar o carro!!!! tava chapada heinnn!!!! danadinha!!!!

    3. kelinha disse:

      Agora esta tudo explicado!!

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS