Cruzeiro do Sul - Acre, terça-feira, 25 de setembro de 2018

Publicado em 7 de janeiro de 2016

Relatório do Deracre rebate Dnit e afirma que a BR-364 foi entregue “em perfeito estado de trafegabilidade”

dnit critica situação da br 364O governo do Acre deu publicidade a um relatório que destaca a BR-364, que liga os vales do Acre e Juruá, localizados em extremos diferentes do território acreano. A rodovia foi, por vários anos, administrada pelo Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (Deracre), mas agora, após voltar a ser responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), tem sido motivo de debate polêmico entre Estado e União.

No início da semana, o superintendente do Dnit, Sérgio Augusto dnit critica situação da br 364 2Mamanny, afirmou, em entrevista ao ac24horas, que o órgão recebeu a rodovia em precário estado de conservação e trafegabilidade. Contudo, nesta quarta-feira, dia 6, o material apresentado pelo governo acreano rebateu novamente as afirmações do gestor, e destacou, segundo aponta a Agência de Notícias do Acre, que trechos da rodovia, hoje criticados, foram repassados em “em perfeito estado de trafegabilidade”.

Segundo o governo acreano, o relatório foi elaborado em janeiro de 2015 e contém imagens de trechos da rodovia, o que “deixa claro que as atuais condições se deram pela falta de manutenção permanente de uma estrada que é de fundamental importância para a integração do Acre”, justifica o material.

br 364Ainda segundo o governo acreano, o Plano Anual de Trabalho e Orçamento (Patos), que colocou três empresas para fazer a manutenção da estrada não é “suficiente” para manter a boa trafegabilidade na estrada federal.

Ainda ontem, durante entrevista, o governador Sebastião Viana (PT) disse que “não é possível imaginar uma estrada em construção tendo liberação de cargas desde fevereiro sem nenhum controle. Agora eu prefiro não achar culpados. Eu prefiro a solução, e ela precisa de uma reconstrução! O próprio diretor do DNIT [Gustavo Sá] disse: ‘dois milhões por quilômetros é um custo ainda baixo para o que ela precisa, nas condições de engenharia dela’. Essa estrada pra se manter bem, mais de três milhões de reais, por quilômetro, senão não dá pra fazer bem feita”, afirmou o petista.

br 364 tarauacá cruzeiro do sulMamanny reafirmou que o órgão “não recebeu a BR-364/AC em boas condições de tráfego” e que a rodovia terá que ser reconstruída em razão da “incompatibilidade de soluções técnicas” aplicadas na obra.

Mamanny reafirmou que o órgão “não recebeu a BR-364/AC em boas condições de tráfego” e que a rodovia terá que ser reconstruída em razão da “incompatibilidade de soluções técnicas” aplicadas na obra.

Fonte:ac24horas- João Renato Jácome

Compartilhe

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS