Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Publicado em 25 de junho de 2013

Trabalhadores em educação param por tempo indeterminado

greveOs trabalhadores em educação da rede estadual de Cruzeiro do Sul, que se reúnem em assembléia-geral hoje (24), vão deflagrar uma greve geral por tempo indeterminado. Entre as principais reivindicações estão um aumento linear e integral de 15%, reformulação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), equiparação salarial dos professores do quadro provisório com os professores do quadro efetivo, concurso para o quadro efetivo de professores e funcionários de escola, entre outros.

Com previsão de adesão inicial de cerca de 60%, o presidente do Núcleo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac), Valdenísio Martins, disse que a categoria está mobilizada. No início do ano, os sindicalistas ameaçaram uma paralisação em represália ao não pagamento da segunda parcela do Prêmio de Valorização dos Professores (VDP) e da segunda parcela do Prêmio de Valorização e Desempenho da Equipe Gestora (VDG), além do atraso no pagamento de salário dos trabalhadores das empresas terceirizadas.

“A exemplos de outras paralisações, a adesão vai acontecer de forma gradativa. Estimamos que, a partir desta terça-feira (25), cerca de 60% dos servidores da educação estadual tenha aderido ao movimento. A principio algumas escolas vão funcionar normalmente, pois já estavam com calendário de provas marcado e, para não causar um prejuízo maior aos estudantes, as provas serão realizadas e só depois as aulas serão suspensas”, declarou a presidente do Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (Sinplac), Alcilene Gurgel

Uma das questões consideradas mais injustas é a situação dos professores provisórios. Devido à rescisão contratual em todo final de ano, eles não recebem a segunda parcela do premio de valorização a partir de março. Sem contar também que recebem apenas 75% do que ganha uma professor do quadro efetivo. “Vamos por fim a estas discrepâncias”, garantiu a sindicalista. .

Os sindicalistas querem, ainda, transformar a VDP em regência de classe, ampliar e aumentar o número de vagas para o curso pró-funcionário (atendendo aos municípios que ainda não foram contemplados), pagamento imediato das parcelas atrasadas da VDP para professores da zona rural e professores provisórios, a criação de uma política de investimento de formação continuada para professores e funcionários, a criação de uma comissão com representantes do sindicato, Secretaria de Educação e governo para discutirmos a problemática da saúde do trabalhador e reposição salarial da inflação.

Tribuna do Juruá – Jorge Natal

Compartilhe

    Comentários:

    1. TIÃOSEMVERGONHAFDP disse:

      Senhores, algumas escolas começaram o ano letivo há apenas 15 dias, essas crianças praticamente perderam tudo o que foi ensinado no ano de 2012, já é vexatório essa situação.

    2. afffffff disse:

      Se não querem a greve é bem simples : atender as reinvidicações da categoria pois funcionário frustrado não produz nada e mesmo assim , quando governador e apadrinhados decidem aumentar seus salários aumentam descaradamente sem se importar com a situação financeira que o estado se encontra !!!!!!

    3. araruta filho disse:

      Vamos fazer um analise um pouco desse sindicao dos professores, todo ano marca greve, e nada, ate qdo a classe ira se sarfar das abas do PT e PCB, acordem senhores professores, se não vcs não virão o bonde passar.

    4. anônima disse:

      Isso é um absurdo… Paralizar a aula por causa do governo.
      Assim como eles ganham bem, os professores também tem seus direitos. Eu aposto se essa situaçao fosse com esse pessoal do governo, se eles estariam achando bom. Mais eles roubam né?! Vivem bem, eles nem ligam. Agora nós que estamos fazendo pré-enem, como vai ser passando esse tempo todo sem estudar? Sem contar que teve escola que começou há poucos dias atrás. Isso é um atrazo, para nós… estudantes de outros estados estao muito mais avançados. Será que o governo não pensa?! E se fosse eles que estivessem nessa situação? O que eles iriam fazer? O nosso futuro depende de nós, maos também dos professores! Os professores e pessoas que cuidam da saúde deveriam ganhar mais do que os outros, pois o que seria de nós? Se não tivesse educadores e se não tivesse médicos? Seria um horror! Então, vamos lá governo…reage, está na hora de acordar e pensar na população!

    5. Desperta disse:

      Somente as crianças e os jovens perdem com isso, falta de vergonha,
      por isso nosso Brasil esta do geito que estar, nessa situação, ja pensou agora com mais uma greve, o que vai atrazar o ano letivo,

    6. […] equiparação salarial dos professores do quadro provisório com os professores do quadro efetivo, concurso para o provimento do quadro efetivo de professores e funcionários de escola, entre […]

    7. […] equiparação salarial dos professores do quadro provisório com os professores do quadro efetivo, concurso para o provimento do quadro efetivo de professores e funcionários de escola, entre […]

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS