Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Publicado em 20 de maio de 2012

Greve na Ufac

Os professores da Universidade Federal do Acre aderiram ao manifesto das outras Instituições Federais de Ensino Superior e também deflagrarão greve por tempo indeterminado a partir desta segunda, 21.

No Acre, os servidores públicos até o último sábado, 19 realizam as atividade normais para o cumprimento dos prazos legais. Mas, a partir desta segunda-feira, 21, os estudantes da Ufac, tanto na capital quanto do Campus Floresta em Cruzeiro do Sul estarão, por tempo indeterminado, sem aulas.

Ainda não existe um balanço sobre quantas instituições aderiram ao movimento nacional, mas estados como Acre, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Mato Grosso a paralisação é tida como certa.

Os docentes reivindicam a reestruturação da carreira – prevista no Acordo firmado em 2011 e descumprido pelo governo federal, levando em consideração a pauta da Campanha 2012 dos professores federais, aprovada no 31º Congresso do Sindicato Nacional e já protocolada junto aos órgãos do governo desde fevereiro.

A categoria pleiteia carreira única com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios, variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo do Dieese (atualmente calculado em R$ 2.329,35), e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho.

Os professores também querem a valorização e melhoria das condições de trabalho dos docentes nas Universidades e Institutos Federais e atendimento das reivindicações específicas de cada instituição, a partir das pautas de elaboradas localmente.

Vale lembrar que estas são reivindicações históricas da categoria docente e que a reestruturação da carreira vem sendo discutida desde o segundo semestre de 2010, sem registrar avanços efetivos.

O acordo emergencial firmado entre o Sindicato Nacional e o governo no ano passado, estipulava o prazo de 31 de março para a conclusão dos trabalhos do grupo constituído entre as partes e demais entidades do setor da educação para a reestruturação da carreira.

Por diversas vezes, o ANDES-SN cobrou do governo uma mudança na postura e tratamento dado aos docentes, exigindo agilidade no calendário de negociação, o que não ocorreu. A precariedade nas Instituições Federais, em diversas partes do país, principalmente nos campi criados com a expansão via Reuni, também vem sendo há tempos denunciada pelo Sindicato Nacional.

Tribuna do Juruá – Dayana Maia

Compartilhe

    Comentários:

    1. Francisco Romoaldo da Silva disse:

      VÃO A LUTA! VOCES MERECEM! GREVE É UM DIREITO CONSTITUCIONAL DO TRABALHADOR.

    2. estudante disse:

      Só pra constar… A greve é opcional, nem todos os professores aderiram, apenas alguns, os que assim escolheram, portanto, para muitas turmas continuará tendo aula.

    3. araujo agronomia disse:

      como teremos um pais capacitado se a base que é educação tem salarios baixos , a ainda professores de nivel superior que estuda no minimo 5 anos e ganha ………. isso é uma vergonha como diria BORIS CASOY. SALARIOS DIGNOS É DEVER DA UNIÃO E DIREITO DOS PROFESSORES ,PARA (TODOS) NÃO APENAS PARA A CLASSE POLITICA.AVANTE AMIGOS GREVISTA ESTOU COM VOCES.

    4. ANA CLÁUDIA - Simplismente mãe. disse:

      Sou mãe de duas crianças,um da pré-escola e outra do 6º ano que estudam no COLEGIO DE APLICAÇÃO-AC, minha filha do 6º ano já parou de estudar, devido a greve, meu filho da pré-escola, continua mas provavelmente, estes professores entrem em greve também. Estou Triste e ao mesmo tempo indgnada, como muitos pais desta instituição,como se não bastace, a FALTA de professores, de algumas diciplinas, como PORTUGUÊS, MATEMATICA, HISTÓRIA e outras. Essa greve por tempo indeterminado. Concordo com com agreve, mas acho que o Governo Federal, poderia agilizar,as negociações. Falamos tanto em cumprir,a CONSTITUIÇÃO QUE É FEDERAL, e ao mesmo tempo não fazemos, valer tais Direitos, a CONSTITUIÇÃO É A FORÇA MAIOR QUE REGE NOSSO PAÍS, e ela é bem clara, quando descreve que todos temos direitos a EDUCAÇÃO, e que a nossos filhos sejam garantidos estes direitos.
      HOJE NÃO SÓ O COLÉGIO DE APLICAÇÃO DO ACRE, MAIS DE TODO PAÍS, passam por DIFICULDADES DE SE MANTER FUNCIONADO, apesar, da FALTA DE PROFESSORES, FUNCIONÁRIOS, MATERIAIS DIDÁTICOS, ESTRUTURAÇÃO ADEQUADA me referio ao Acre, NÃO queremos o FIM desta instituição que é unica instituição Federal de nivel fundamental e médio do Estado do ACre, e possui conceitos execelentes, na area de educação, os poucos professores que tem fazem faler valer esse salário defasado.
      COMO MÃE, QUE NÃO DESEJA VER OS ESTUDOS DOS FILHOS PREJUDICADOS E PERDIDOS NESTE ANO 2012. PEÇO AGILIDADE, NOS PROCESSOS DE NEGOCIAÇÕES PELOS GOVERNANTES, inclusivel do BANCO DE EQUIVALÊNCIA, para contratação de novos professores.

      Obrigada.

    5. jasmin disse:

      eu estudo no colegio de aplicação e não gostei nem um pouco de saber que o meu colegio que eu estudo a 8 anos esta em greve e eu vou ter que sair dele .
      poxa eu concordo com a greve mas avisem mais cedo ne?
      pois isso interfere no nosso aprendizado e logo eu que estou no 6 ano

    6. avante professores, apoio 100 por cento vossas reinvidicacações.

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS