Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Publicado em 14 de abril de 2014

Superando dificuldades: Da vida dura de estivador ao futebol profissional

jogador nauas 2Francisco Fábio Rodrigues de Oliveira (Fabinho) 29, lateral direito do Náuas é mais um caso de superação no futebol. Da infância pobre até o futebol profissional sua vida é uma história de dor, esperança, determinação até poder vestir a camisa de um time no futebol profissional.

Hoje com a camisa do Náuas ele realiza um sonho de criança. Como todo menino que vem do interior para a cidade, ele também sonhava ser jogador de futebol. Depois de uma infância sofrida, vieram as peladas no campo de areia do Bairro do Remanso em Cruzeiro do Sul, onde chamava a atenção pelo empenho e força de vontade. Não demorou muito e Fabinho chegou a fim ao futebol local e durante alguns anos vestiu a camisa do extinto Comercial Wially.

Depois defendeu o time São Cristóvão e no ano passado se destacou com a camisa do Flamengo, onde se consagrou campeão cruzeirense. Ganhando projeção devido ao desprendimento de se colocar a disposição para atuar em várias posições. (Lateral direito, Zagueiro e cabeça de área). Em 2014 veio o convite para vestir a camisa do Náuas e Fabinho não pensou duas e aceitou o convite. No entanto ele está longe de viver como vivem alguns atletas profissionais.

jogador do nauasQuem o ver em campo, nem imagina sua rotina de trabalho para garantir o sustento da família. Sua rotina diária começa às 05 horas da manhã, quando chega ao Porto fluvial de Cruzeiro do Sul e inicia seu trabalho com estivador. Carregando e descarregando peixes que abastecem o mercado local. São isopores com cerca de 100 a 120 kg de peixe, colocados sobre suas costas para serem embarcados em carros e transportados para o Mercado Luiz Calixto, onde a cena se repete até que o produto possa ser comercializado ao público.

Depois de concluído seu trabalho, Fabinho vai para a sua casa, onde pega seu material e empenha-se nos treinos do time.  Fabio é apenas um caso de superação no elenco atual do Náuas. Além dele, o atacante Doutor trabalha como serrador de madeira. O zagueiro Cássio, o atacante Vianez e os irmãos Ton e Adriano, trabalham 08 horas por dia em um supermercado da cidade. Dudé é motorista de transporte coletivo, enquanto que vários outros estudam para garantir um futuro melhor.

Tribuna do Juruá – Adelcimar Carvalho

Compartilhe

    Comentários:

    1. emasson disse:

      pessoas que sabe o sabor da vida esforçada cabeça no lugar família para sustentar merece uma chance e com certeza o nauas tem muito a crescer com estes guerreiros precisa acreditar mais e investir nos seus jogadores

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS