Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

Publicado em 13 de abril de 2014

Indígena dá entrada no hospital com febre e sai morta, família acusa o hospital de negligência médica

indigena mortaUma menina indígena de 8 meses de idade deu entrada no Hospital do Juruá em Cruzeiro do Sul na manhã da última sexta-feira (11), por volta das 8h, e na manhã de sábado(12) morreu ainda na unidade. Os pais levaram a menina até o hospital devido uma  febre que já perdurava por quatro dias, mas segundo a mãe da menina, Maria José Conceição da Silva, a causa da morte foi negligência médica, ela alega que a filha não recebeu os atendimentos necessários.

“Eu não fui bem atendida. Desde o momento que cheguei no Hospital que minha filha estava sentindo febre, mas não estava apresentando sinal de morte. Eles colocaram um soro nela e quando aplicaram uma seringa no soro minha filha já começou a ficar aperreada, eu disse para enfermeira e ela me perguntou se eu queria saber mais do que o médico”, falou a mãe lamentando a morte da única filha.

maria jose conceiçãoMoradores da Aldeia Nova Vida I , Povo Jaminaua Arara, localizada na Comunidade Paraná dos Mouras, a família pede justiça pela morte da criança, que teve no atestado de óbito a causa morte falência orgânica múltipla, septicemia, astite (infecção do trator urinário) . Segundo a mãe da menina desde o momento que chegou no Hospital , até o momento que a filha morreu nenhum pediatra atendeu a criança, somente após a morte que um médico especialista em criança foi acionado e realizou os procedimentos de massagem.

“Eu fiquei na sala de observação desde a hora que cheguei com minha filha no colo e sentada em uma cadeira. Eu fiquei mais de 24 horas com ela no braço e sem ajuda dessas pessoas que deveriam nos ajudar. Trouxe minha filha para o hospital para tentar curar ela dessa febre e ela sai daqui morta, eu não desejo isso para ninguém. Era minha única filha, eu amava tanto ela”, relatou a mãe emocionada ao contar a falta de assistência.

Os pais da criança deram entrada em um boletim de ocorrência na Delegacia Geral de Cruzeiro do Sul para solicitar uma investigação mais minuciosa quanto as causas da morte da filha, pois acreditam que a medicação  aplicada foi uma das causas da morte.

“Foi só colocarem o remédio nela e ela começou a ficar ruim. O corpo da minha filha está todo patacado, cheio de hematomas, parece mais foi que ela teve um infarto. Eu quero uma resposta certa. No atestado eles colocam o que querem, colocaram que minha filha morreu de infecção, mas em nenhum momento fizeram nada por ela. Isso não dá para aceitar”, finalizou a mãe ao pedir justiça.

Nossa equipe procurou os responsáveis pela direção do Hospital para responder sobre o caso, mas não encontrou.

Tribuna do Juruá

Compartilhe

    Comentários:

    1. Voz que não cala disse:

      Difícil é encontrar um outro médico para contestar o atestado emetido por este hospital. Nessa profissão o corporativismo é um dos mais categórico e taxativo do Brasil. O Estado precisa ser mais rigoroso. Penalmente, dificilmente responderá, porquue existem várias tangentes… Deus que houve todo lamento e sofrimento humano conforte a família…. meus sentimentos!

    2. emasson disse:

      Sobre a morte da crianca, talves nào tenha sido realmente motivo dos medicos, mais o pessimo atendimento relatado pela mae da vitima retrata o descaso para com da saúde pública para com os nessecitados deste tipo de saude. Que profissionais são voces, estão só pelo o salário e o governo, é esta a saúde que o senhor quer para a populacão acreana.

    3. Ianna disse:

      Sei o que essa mãe está sentindo, pq não faz muito tempo, estive quase na mesma situação referente ao atendimento, pois pra ser atendido é necessário esperar um arco iris passar por vc, e ainda mais certas enfermeiras e atendentes que querem saber de tudo e acham que não devem prestar atendimento a população que procura esta instituição. Se a pessoa for calada e esperar atendimento, vai embora sem ser atendido. Agora pergunto: Onde está a tal “irmã” que zela pela ordem do hospital, ela não se preocupa em passar pelo pronto socorro pra ver o que acontece, apenas infernizando os pacientes que tentam se recuperar. Graças a Deus ainda temos alguns médicos que preocupam com o paciente e realizam o devido atendimento. Talvez esse que tenha atendido essa senhora não tenha nem olhado pro rosto dessa criança….mas posso garantir que não são todos, ainda existem aqueles que merecem nosso respeito e admiração. #indignação

    4. elizabethe disse:

      Isso aí! , é resultado do péssimo atendimento dos médicos e da Responsável pelo Hospital. E quando tem médico pq eles só vão quando bem querem. e quando vão. pq o médico de Plantão diz que não é ele, e o da emergência tem que atender todos, A troca de plantão pode esperar que as 9:hors que eles vão começam atender e quando atendem, e só passa Dipirona… Não Acredito que na naquela instituição não tenha uma ser Humano que se Disponha a falar pra Direção o que realmente acontece. Essa é a Saúde de Primeiro mundo que o Governador disse em Campanha.

    5. ANNE disse:

      MÉDICOS INCOMPETENTES ISSO SIM. MINHA MÃE PASSOU DOIS DIAS NESSE HOSPITAL SOMENTE TOMANDO SORO, SEM REALIZAREM UM EXAME, NO TERCEIRO ELA FALECEU. QUE DEUS CONFORTO ESSA JOVEM MÃE!

    6. Greicy disse:

      Depois que esas irmãs assumiram a direção do hospital, tem morrido muita gente. Da ate pra botar o nome do hospital de matadouro, por que é isso que esta parecendo. E sempre assim os médicos e a direção sempre tem uma desculpa e nunca são punidos. Ta na hora de alguém tomar providências, caso contrario ainda vai morrer muita gente por negligência e descasos de todos que trabalham ali dentro.

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS