Cruzeiro do Sul - Acre, sábado, 17 de novembro de 2018

Publicado em 5 de setembro de 2013

Funcionários do hospital dermatológico estão indo para três meses sem receber

hospital dermatológicoUm grupo de 18 funcionários terceirizados, que trabalham no Hospital Dermatológico de Cruzeiro do Sul, está indo para o terceiro mês sem receber seus salários. O motivo: o governo do Estado está honrando parcialmente o contrato com a empresa MM, que presta serviços de limpeza na unidade e cuja sede fica em Rio Branco. “Vou pagar juros altíssimos no crediário e meu nome está ameaçado de ir para o Serasa”, disse, aos prantos, uma funcionária.

A reportagem procurou o diretor da unidade, Ailson Pinheiro Zumba, que, por está voltando de férias, até aquele momento, não sabia informa os motivos do não pagamento. Ao ser informado da situação, o vereador Marcos Lima Verde (PMDB) se solidarizou aos trabalhadores e vai denunciar o “descaso” nos Ministérios Públicos do Trabalho (MPT) e Estadual (MPE). “Isso é inadmissível. Eles ganham apenas um salário mínimo e sequer conseguem receber”, criticou ele, indignado.

O responsável pela empresa no município, um homem conhecido por Pastor Alexandre, não quis se pronunciar, mas fez contato com a proprietária, a senhora Maria das Dores Silva Araújo, que garantiu normalizar os pagamentos até o dia 15 deste mês. Ela justificou o atraso alegando ter dificuldades para receber os pagamentos integrais do governo. “Há seis meses eu só recebo a metade”, disse a empresária, afirmando que o atraso nos pagamentos se estende a todos os prestadores de serviço e fornecedores. “Existe uma crise que deve perdurar até novembro”, previu.

Tribuna do Juruá – Jorge Natal   

Compartilhe

    Comentários:

    1. felipe disse:

      votam no PT de novo!!!

    2. Raimundo Carlos de Lima disse:

      Apesar de triste, trata-se de uma importante reportagem. Aliás, o Brasil precisa urgentemente cuidar da saúde de sua população; não construindo hospitais, mas cuidando da prevenção, que inclui, além do saneamento básico, muitos outros elementos.

    3. Andres disse:

      Como dizia o Boris: isso é uma vergonha!!
      Parabéns pela reportagem ao Jornalista Jorge Natal!

    4. Marcos disse:

      Essa situação é por demais revoltante!! Achei que o trabalho escravo já tinha sido abolido do Brasil desde 1988, mas pelo visto, aqui no Acre a escravidão ainda é persistente!! Até parece que esses pais e mães de família não tem outros compromissos senão o de trabalhar de graça para para o governo. Isso porque além de ganhar um salario de miséria e passar até 6 meses para receber, o trabalhador ainda têm que ficar calado, sob pena de perderem seu emprego!! Isso é um absurdo!!! Meu Deus.. para onde esse mundo vai…!!

      Parabéns ao Jornalista Jorge Nata pela Grande matéria!!!!

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS