Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Publicado em 12 de janeiro de 2017

Após protesto açougues abrem as portas com preço da carne mais elevado

carne mercadoNa manhã desta quarta-feira (11) as casas de carne de Cruzeiro do Sul voltaram a funcionar normalmente após um dia de portas fechadas. Os açougueiros decidiram protestar contra o aumento no preço da carne  e ameaçavam não voltar a vender o produto, se os proprietários dos frigoríficos não desistissem de repassar o reajuste. Com o encerramento da manifestação o consumidor cruzeirense passou a comprar a carne com R$ 1,00 a mais em cada quilo.O reajuste foi informado ontem aos proprietários de casas de carne. O presidente do Sindicato dos Magarefes, Elismar de Oliveira Silva, disse que o aumento foi repassado pelos frigoríficos e que todos os vendedores de carne foram surpreendidos com o novo valor. Por não terem sido comunicados no aumento, os açougueiros decidiram não receber a carne dos matadouros para revender, como forma de protesto.

“O problema foi que aumentou o preço da carne e não falaram nada pra nós. Pegou todos os açougueiros de surpresa” – alegou Elismar.

De acordo com o sindicalista, após as explicações do empresário, dono do abatedouro, os revendedores de carne decidiram retomar as atividades. Elismar esclareceu que a justificativa para a elevação no preço foi a dificuldade para o transporte de animais das propriedades rurais para o local de abate e também o reajuste no preço de outros produtos provocados pelos novos valores dos combustíveis.

“As informações que tivemos do proprietário do matadouro são que tem poucos bois e, devido às chuvas, estão tendo muitas dificuldades para tirar dos ramais, por isso teve esse aumento. Tivemos com o dono do frigorífico e ele falou que não tem como baixar o preço”- explicou Elismar. Foto-G1

Tribuna do Juruá – Dejalcimar Rogério

 

Compartilhe

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS