Cruzeiro do Sul - Acre, sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Publicado em 10 de janeiro de 2017

Açougueiros protestam devido reajuste no preço da carne

acougues-protesto-2Segundo a associação da classe, o quilo da carne de primeira, antes comercializada a R$20, agora será vendida ao consumidor final por R$22, ou seja, um reajuste de R$2 reais. O aumento teria sido repassado diretamente por proprietários de frigoríficos locais.

Seguindo recomendações do presidente da categoria, nenhum magarefe comprou carne de frigoríficos para revender na manhã desta terça-feira, 10, em Cruzeiro do Sul. Alguns supermercados e mercearias também aderiram ao protesto.

acougues-protestoSegundo Elismar Oliveira da Silva, presidente da Associação dos Magarefes da cidade, não houve um aviso prévio referente ao novo aumento repassado por parte de empresários, proprietários de abatedouros.

“Eles simplesmente repassaram o novo reajuste sem avisar, faltou explicação, não só para classe, como também à população. A informação é que será de apenas de um real, mas, sabemos que se trata na verdade de dois reais cobrados em cima do mesmo imposto, isto porque, no ano passado eles já tinham aumento o valor em um real no quilo da carne”, disse.

Macildo Fernandes Lima, açougueiro da região, disse que, obrigatoriamente terá que repassar o valor aos consumidores.

“Fica complicado para a gente manter o atual valor cobrado. Quando a gente chega a nota já está em cima do balcão com aumento, a única solução é pagar e repassar a diferença para a população, infelizmente será assim”, comentou.

Até mesmo vendedores de verduras e legumes, localizados na região dos açougues, se dizem prejudicados com a situação. Dona Auxiliadora Barbosa, contou que ouve uma queda significativa nas vendas de mandioca.

“ A mandioca é um dos produtos indispensável para o churrasco, quando não tem carne não vendemos macaxeira”, contou.

Segundo o presidente da Associação dos Magarefes, a venda de carne em açougues e, em alguns comércios será suspensa até que haja um entendimento entre a classe, donos de frigorifico e Sefaz.

Segundo informações, um reajuste no tributo cobrado pela SEFAZ teria motivado empresários do setor a repassar o valor aos pequenos comerciantes. Anteriormente o preço  por boi abatido era de R$13 reais, e agora  passou a ser cobrado R$57 reais por cabeça.

Tribuna do Juruá

Compartilhe

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS