Cruzeiro do Sul - Acre, quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Publicado em 15 de julho de 2011

Novos grupos de indios isolados são descobertos no Acre

Tribo índigena da região de fronteira encontrou rastros deixados pelos isolados em janeiro.

No início do mês uma equipe constituida pela Fundação Nacional do Índio, a Funai, a Comissão Pró-índio e a Fenamad do Peru encontraram vestigios de grupos indígenas isolados que vivem no Acre.

Até então acreditava-se na existência de apenas um grupo. Mas, de acordo com o  material encontrado, existe a possibilidade de serem mais  três novos grupos.

Os “parentes isolados”, como também são conhecidos, podem estar próximos a uma área recentemente habitada pela tribo Manchineri, na região da Terra Indígena Mamoadate.

O único contato que a comunidade Manchineri tentou com os índios isolados foi no início dos anos 80 e, mesmo assim, não obtiveram êxito, pois os dois povos não falam a mesma língua.

Em janeiro deste ano, os Manchineri encontraram as primeiras pistas, e ainda segundo eles, os rastros encontrados são muito diferentes daqueles ja vistos anteriormente.

Em 2009, o Governo do Estado divulgou fotos de uma tribo isolada que vive em uma reserva próxima a fronteira com o Peru. Esses íundios foram denominados Mashko Piro.

A política de proteção da Funai prevê que qualquer tipo de contato com os isolados exista somente no caso da própria comunidade procurar. Esse povo nunca teve contato com a civilização e, a qualquer tentativa, podem reagir de maneira agressiva como é de sua natureza.

No caso de mais grupos descobertos, a Frente de Proteção Etnoambiental do Índio vai desenvolver uma estratégia para acompanhar mais de perto a rota de tráfego desses indígenas, bem como tentar protegê-los.

O  coordenador da frente de proteção afirma que por deixarem apenas rastros, a dificuldade em identificá-los é grande.

“A gente não  consegue acompanhar a rota deles muito de perto. Eles estão sempre mudando de região e como os hábitos também são diferentes, dificulta nosso trabalho”, explica o coordenador.

Paula Amanda, da TV Gazeta

Compartilhe

    Comentários:

    1. Cristina disse:

      boa a materia ..mas tem uma carencia muito grande de fotos…

    2. charles disse:

      carencia de material, fotos, videos etc… mas a materia é válida.

    3. kayro disse:

      Daqui uns meses a FUNAI vai lá e enche os bolsos deles de dinheiro, ah, náo tem bolsos, sáo índios (ainda), mas o governo vai dar roupas de marcas e muito dinheiro para gastarem com o que quiserem, é o jeito brasileiro de PRESERVAR A CULTURA INDIGENA!

    4. Ricardo disse:

      Devem ser mantidos no isolamento atual, pois um contato os mataria por muitas doenças das quais somos portadores já imunes.

    5. eli correia da costa disse:

      camarada estas fotos estão duvidosas. qual o rio que passa por esta aldeia eli correia rj/ 17/07/11

    6. falomesmo disse:

      Não acho legal ficarem tentando investigar eles, se estão isolados é pq assim o querem, temos que manter a cultura deles preservadas,é bom ainda existir esses grupos que vivem longe dessa coisa chamada “civilização”.

    7. Roberto disse:

      tribos indígenas é bom de encontrar, mas é melhor deixá-los viver a sua vida tranquila e isolada da nossa civilização e não contaminá-los com os nossos serviços e nossa constumbres destrutiva

    8. remo disse:

      eles estão mais seguros em sua aldeia que milhares de brasileiros que moram nas encostas de morros temendo desmoronamento e contando os seus mortos infelizmente..O mundo deles é mais seguro que o nosso.

    9. Sâmia disse:

      O melhor contato é contato nenhum. Querer fazer algo novo como uma matéria jornalistica a custa da exposição de um povo que não demonstra interesse nenhum em mostrar-se. Nunca foi feito algo bom para os índios, desde o descobrimento, e não seria agora. É melhor deixá-los sem localização ou fotos. Não são bichinhos raros. São pessoas que escolhem um tipo de vida mais natural, sem nossos vícios auto-destrutivos.

    10. Ualace disse:

      Acho que qualquer contato deve ser evitado a não ser que eles queiram. Ja viveram e vivem muito bem sem a nossa pressença, é melhor deixa-los em paz, os brancos já provaram e mostraram suficientimente bem como ser metidos e inconvenientes, sendo que desde o começo esses povos vivem bem sem nós. Mais é claro que sempre tem alguem que usa esse tipo de coisa como artificio para lucrar embolsando verbas inventadas explorando esses pobres pra variar.
      Querem estuda-los? Ótimo! mais mantenha distância pra não contaminá-los com nosso mundo.

    Deixe seu comentário

    Mensagem

    

    Site desenvolvido por Agência Live Design

    Fones: (68) 3322-7302 / 9998-9802
    Responsável: Cleonildo R. do Nascimento

    REDES SOCIAIS